Anúncio publicitário

Compartilhe

WhatsApp
Facebook
Telegram

Cidades inteligentes na pauta de debates na Ales

A Comissão de Ciência e Tecnologia recebeu, nesta segunda-feira (6), o coordenador do Instituto Brasileiro de Cidades Humanas, Inteligentes, Criativas e Sustentáveis (Ibrachics), Ketno Lucas Santiago. Ele destacou que a Organização das Nações Unidas (ONU) fez uma projeção de que, em 2050, 68% da população será urbana e, segundo ele, a ciência e a tecnologia podem auxiliar na resolução de problemas provocados pela superpopulação, como impactos na mobilidade urbana e no meio ambiente.

A Comissão de Ciência e Tecnologia recebeu, nesta segunda-feira (6), o coordenador do Instituto Brasileiro de Cidades Humanas, Inteligentes, Criativas e Sustentáveis (Ibrachics), Ketno Lucas Santiago. Ele destacou que a Organização das Nações Unidas (ONU) fez uma projeção de que, em 2050, 68% da população será urbana e, segundo ele, a ciência e a tecnologia podem auxiliar na resolução de problemas provocados pela superpopulação, como impactos na mobilidade urbana e no meio ambiente.

Fotos da reunião

Santiago também destacou que Vitória costuma figurar nas listas das cidades mais inteligentes do Brasil. Ele apresentou um ranking publicado pela revista VIA, segundo o qual a capital do Espírito Santo ocupa o 6º lugar entre as cidades inteligentes e inovadoras brasileiras. O ranking analisa vários fatores, como mobilidade, urbanismo, meio ambiente, segurança, educação, saúde, tecnologia e inovação, energia, empreendedorismo, economia e governança.

Sobre a cidade de Vitória, o coordenador do Ibrachics deu destaque à plataforma 156 da Prefeitura, que permite que os moradores solicitem serviços. Esses pedidos ficam registrados e precisam ser respondidos. Porém, o convidado da Comissão de Ciência e Tecnologia frisou a necessidade de mais inclusão digital e acesso à internet para que a população carente não fique alijada dos serviços públicos.

Santiago também falou sobre a importância de se estabelecer uma rede de cidades inteligentes e inovadoras no Espírito Santo, agregando o poder público, o setor privado e as universidades.

O presidente do colegiado concordou: “Que o Brasil e o Espírito Santo possam ter cada vez mais cidades inteligentes para promover políticas públicas com mais eficácia”, declarou o deputado Pablo Muribeca (Patri).

Findeslab

Também participou do encontro o especialista em inovação da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Iomar Cunha. Ele apresentou projetos desenvolvidos pelo Findeslab, iniciativa conjunta da Findes e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) voltada ao fomento de empresas inovadoras.

O palestrante explicou que o FindesLab faz a interlocução de quem tem um problema com quem tem a solução. Normalmente, são grandes empresas que precisam de uma solução inovadora e uma startup – empresa normalmente ligada à área de tecnologia e inovação – apresenta uma forma de resolver a questão.

Entre os casos de sucesso destacados estão projetos relacionados à energia elétrica, à segurança de trabalhadores de plataformas de petróleo e ao desenvolvimento de carros autônomos.

2023 © ES Post. Todos os Direitos Reservados.