Anúncio publicitário

Compartilhe

WhatsApp
Facebook
Telegram

Governo inaugura primeiro hub público de economia criativa e inovação do Espírito Santo

O Governo do Estado inaugurou, nessa terça-feira (10), o primeiro hub público de economia criativa e inovação do Espírito Santo. Localizado próximo à Praça Costa Pereira, no Centro de Vitória, o Hub ES+ integra o programa ES+Criativo, do Governo do Estado, sob coordenação da Secretaria da Cultura (Secult) em parceria com a Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

O Governo do Estado inaugurou, nessa terça-feira (10), o primeiro hub público de economia criativa e inovação do Espírito Santo. Localizado próximo à Praça Costa Pereira, no Centro de Vitória, o Hub ES+ integra o programa ES+Criativo, do Governo do Estado, sob coordenação da Secretaria da Cultura (Secult) em parceria com a Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Ao todo, o Hub ES+ conta com um investimento de R$ 12.677.868,61. Sendo R$ 9.125.094,83 provenientes de recursos do Governo do Estado, correspondendo a 72% do valor para a implementação do projeto. O valor restante (R$ 3.552.773,78) foi aplicado por meio do Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia (Funcitec/MCI).

Com gestão e administração pelo IBCA, o Hub ES+ é composto por diversos equipamentos e conta ainda com o Lab Café, cujo foco é a economia criativa da gastronomia e cafeicultura local. Funcionando de segunda-feira a sábado, das 8h às 20h, o local passa a oferecer gratuitamente encontros culturais, oficinas, palestras e feiras empreendedoras, além de diversos eventos e formações. O objetivo é ampliar o acesso da população a conhecimentos e técnicas para potencializar a criação e o desenvolvimento de ideias e negócios criativos e culturais.

“Vamos juntar neste Hub ES+ cultura, inovação e empreendedorismo. É uma forma de atrair mentes inovadoras e, neste ambiente, encontrarmos soluções para os problemas dos capixabas, além de criar novas possibilidades de desenvolvimento. O Hub está no Centro Histórico de Vitória, que faz parte da nossa revitalização dessa importante região, assim como o Theatro Carlos Gomes que estamos revitalizando”, afirmou o governador do Estado, Renato Casagrande.

A programação de inauguração contou com diversas apresentações culturais na área externa ao Hub, em frente à praça, e no auditório do espaço. Após o descerramento da placa de inauguração, o governador e demais autoridades presentes fizeram um tour pelo novo espaço multidisciplinar, que vai oferecer ações gratuitas voltadas ao desenvolvimento da economia criativa, da tecnologia e da inovação, tendo a cultura como meio de interconexão entre esses setores.

“Este momento tem um simbolismo muito forte, que remonta ao sonho antigo de concentrar em um só lugar todo o potencial da cultura e da criatividade do Espírito Santo para o desenvolvimento econômico. É muito desafiador construir uma política pública. Mais ainda quando pensamos em uma construção conjunta, que envolve várias pastas. Além de reunirmos três grandes estruturas de governo – Secti, Secult e Fapes –, nós construímos todo esse processo de maneira colaborativa, envolvendo atores da cultura, lideranças locais, entidades diversas, mobilizando centenas de pessoas”, disse o secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha.

O secretário destacou que a economia criativa representa 3,11% do PIB brasileiro, estando à frente da indústria automotiva, que representa 2,5%, e próximo da construção civil, que representa 4,06% – de acordo com dados do Observatório da Economia Criativa, do Itaú, e do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

“Aqui no Espírito Santo, representa 1,24% do PIB, o que nos coloca na sétima melhor posição entre os estados brasileiros. Aqui, a economia criativa abrange 2.530 empresas, que geraram em 2020 R$ 4,1 bilhões em receita, cerca de R$ 800 milhões em lucro, empregando 130 mil pessoas, representando 6% do total de trabalhadores do Espírito Santo”, acrescentou o secretário da Cultura.

Fabricio Noronha chamou a atenção também para o fato de o setor ser muito rico em diversidade, um aspecto que deve estar sempre presente nas políticas públicas – englobando fomento, crédito, formação, difusão, exportação e intercâmbio, por exemplo. “O Hub ES+ é um espaço aberto, de acolhimento às ideias criativas. É um lugar de conexões e parcerias. Uma escola aberta, onde podemos aprender, ensinar, trocar, ampliar o repertório. Esta inauguração, junto com outras importantes conquistas recentes do governo, deixam o Espírito Santo muito bem posicionado no Brasil. Quem ainda não conhece vai ouvir falar muito do que é produzido aqui no Estado”, pontuou.

A diretora do IBCA, Larissa Delbone, enfatizou que o hub visa à promoção do acesso, sendo este um grande diferencial. “Nós somos um instituto de identidade periférica. Nossas ações acontecem, majoritariamente, nas periferias. A Secult tem sido uma importante parceira para que a cultura chegue mais longe, sobretudo onde as atividades culturais não costumam ser tão comuns. Agora, temos este privilégio grande de nos unir à Secult, à Secti e à Fapes em um projeto inovador, que é referência para o Brasil inteiro, podendo agregar inovação e cultura em um só espaço”, completou.

Durante o evento, aconteceu ainda o lançamento da publicação “Rota Estratégica da Economia Criativa”, que também integra o programa ES+Criativo. O documento propõe ações de curto, médio e longo prazo para o desenvolvimento sustentável da economia criativa no Espírito Santo até o ano de 2035. O projeto da publicação foi conduzido pelo Observatório da Indústria, da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes), em convênio com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-ES) e a Secult.

Na sequência, a consultora em economia criativa para o Sebrae, governos e empresas privadas Claudia Leitão apresentou uma palestra na qual abordou temas do livro “Criatividade e emancipação nas comunidades-rede: contribuições para uma economia criativa brasileira”, do qual é coautora, junto com Luciana Guilherme, Luiz Antônio Oliveira e Raquel Gondim. A obra também foi lançada durante o evento.

Outro ponto alto da inauguração foi a assinatura do protocolo de intenções para formalizar parcerias de integração entre os ecossistemas de inovação de secretarias estaduais do Espírito Santo e do Paraná. O documento foi assinado pelo secretário de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional do Espírito Santo, Bruno Lamas, e pelo secretário de Estado da Inovação, Modernização e Transformação Digital do Paraná, Marcelo Rangel.

“Com esse espaço, o Governo movimenta todos os atores da inovação, pois reúne startups, investidores, empreendedores e parceiros em um só local. Trata-se de um importante investimento do nosso Estado. O Hub ES+ funcionará como uma porta de entrada para quem deseja se inserir no ecossistema de inovação trabalhando de forma colaborativa. Aproveitamos a ocasião também para formalizar a nossa parceria com o estado do Paraná para integração entre os nossos ecossistemas de inovação. Precisamos ter uma gestão inovadora e eficiente para sermos competitivos”, ponderou Bruno Lamas.

O diretor-presidente da Fapes, Denio Arantes, destacou que o espaço é uma entrega que vai impactar não só os setores da inovação e da economia criativa capixaba, mas também o progresso econômico do Estado. “Investir em inovação é investir no futuro. Com o HubES+ teremos um Estado mais competitivo e, em consequência, mais desenvolvido economicamente. Este espaço é uma entrega do Governo do Estado para sociedade capixaba, afinal é um hub público. Será um marco para história do Espírito Santo”, frisou.

A extensa programação cultural seguiu até a noite, com o trecho da rua entre a Praça Costa Pereira e o Hub ES+ interditado para circulação de veículos, a fim de receber a população com food-trucks e muita música. Um dos destaques foi o projeto Elza Machine Kombi Sound System – no veículo equipado com mesa de som e palco musical, a DJ Karolla animou a noite com muito pop e funk, regado à brasilidades e referências pretas. A Escola de Samba Unidos da Piedade encerrou a programação em ritmo de carnaval.

2023 © ES Post. Todos os Direitos Reservados.